sexta-feira, 14 de julho de 2017

POLÍCIA CIVIL LAMENTA FALECIMENTO DO AUXILIAR TÉCNICO DE POLÍCIA CIVIL RAIMUNDO NONATO RODRIGUES DE OLIVEIRA

A Polícia Civil lamenta profundamente o falecimento do auxiliar técnico de Polícia Civil, Raimundo Nonato Rodrigues de Oliveira, o Seu Raimundo, que tinha 69 anos e que tinha 33 anos de serviço público no Estado. Desde outubro de 2005, estava lotado na Diretoria de Polícia Especializada (DPE), na sede da Delegacia-Geral, em Belém. 

O corpo do Seu Raimundo será velado hoje, com horário a ser definido, na capela mortuária da Sociedade União Good Pax, localizada na Travessa Lomas Valentinas, entre Avenidas Duque de Caxias e Rômulo Maiorana (25 de Setembro), no Marco, em Belém. 

A instituição externaliza seus votos de condolências à família, aos amigos e a todos os colegas de trabalho enlutados e roga a Deus que fortaleça a todos nesse momento difícil.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

PRESO EM FLAGRANTE POR TRÁFICO DE ENTORPECENTES NA SACRAMENTA EM BELÉM

PRESO

Policiais civis da Seccional da Sacramenta prenderam, nesta quarta-feira, 12, em Belém, o auxiliar de serviços gerais Pedro Leonardo Silva do Nascimento, 22 anos, de apelido Leo, por tráfico de drogas, no bairro da Sacramenta, em Belém. Com ele, 100 petecas de maconha do tipo limãozinho, foram apreendidas. O delegado Alberto Teixeira, diretor da Seccional, explica que a prisão dele foi resultado de um registro de ocorrência de um furto de um telefone celular de uma funcionária da escola estadual José Alves Maia, registrado na última segunda-feira, na Seccional, em que ele foi apontado como o suspeito do crime. 

A partir das análises de uma câmera de segurança instalada em frente à porta da sala da secretaria da escola, onde estava a bolsa com o celular da vítima, os policiais civis verificar que as únicas pessoas que entraram na sala foram dois funcionários - um homem e uma mulher - de uma empresa contratada pela Secretaria de Educação do Estado (Seduc) para prestar serviço de limpeza na escola. A mulher, que já tem três anos trabalhando na escola, ficou poucos minutos na sala e saiu. 

O homem, identificado depois como o suspeito Pedro Leonardo, que trabalha há apenas um mês no local, ficou mais tempo na sala. Assim, os policiais civis foram ontem até a escola e conduziram os dois funcionários até a sede da Seccional para que os dois fossem ouvidos em depoimento sobre o furto do celular. Na Seccional, Pedro Leonardo se mostrou muito nervoso durante o depoimento. Foi então que um dos policiais civis resolveu revistar a mochila do suspeito e encontrou a droga. "Possivelmente a droga, ele conseguiu comprar com a venda do celular furtado. A gente deduz isso, porque ele nega ter furtado o celular", salienta o delegado. Dessa forma, salienta o delegado, Pedro Leonardo vai responder por tráfico de drogas e vai responder inquérito pelo furto do celular.

DROGAS APREENDIDAS
NOTA DA SEDUC A Seduc confirma a prisão de Pedro Leonardo Silva do Nascimento, funcionário de uma empresa prestadora de serviços contratada para atuar na Escola Estadual José Alves Maia, situada na Avenida Senador Lemos, cujos alunos estão de férias. Ele foi acusado de ter furtado, na última segunda-feira (10/7), no interior da escola, o celular de uma funcionária. Segundo informações da polícia, ele portava drogas ao ser preso fora da escola. 

O episódio é restrito à esfera policial, não havendo implicação com a atividade pedagógica ou de outra ordem; principalmente, pelo fato de o acusado não ter vínculo com a área educacional, sendo funcionário terceirizado para os serviços de limpeza da escola. Independente dos procedimentos restritos à Polícia, a Secretaria de Educação comunicou o fato à empresa prestadora de serviço solicitando que o acusado seja desligado dos serviços vinculados à Seduc. E, por meio da Ouvidoria, estão sendo tomadas medidas internas que o caso exige, ao tempo em que interage com área de segurança do governo para ampliar os procedimentos de segurança nas escolas.

DELEGACIA DE POLÍCIA FLUVIAL PRENDE ACUSADO DE ASSALTAR BALSA NA ILHA DO MARAJÓ

Policiais civis da Delegacia de Polícia Fluvial (DPFlu), unidade policial vinculada ao Grupamento Fluvial de Segurança Pública, prenderam, nesta quinta-feira, 13, o foragido da Justiça Jailson Tavares Farias, 30 anos, no momento em que embarcava em um navio no porto Custódio, no bairro do Jurunas, em Belém. Ele é acusado de atuar como "pirata" em assaltos a embarcações. Jailson é acusado de assaltar uma balsa, na última quarta-feira, dia 6, na Ilha do Marajó. 

PRESO
Ao ser preso, ele foi flagrado com uma pistola calibre 40, arma de uso permitido apenas às Polícias, com numeração raspada e oito petecas de "Skank", um tipo de maconha modificada em laboratório, além de relógios e dinheiro. Segundo informações do delegado Arthur Braga, titular da DPFlu, o suspeito pretendia viajar no navio que seguia para o município de Limoeiro do Ajuru. 

APREENSÕES
Ele tem mandado de prisão expedido pela Justiça do Pará pelo assalto à balsa. "O preso foi conduzido à sede da Delegacia no Grupamento Fluvial para ser autuado por porte ilegal de arma de uso restrito a Polícia e tráfico de drogas", detalhou o delegado.

PRESOS DOIS ACUSADOS DE TENTATIVA DE HOMICÍDIO EM SANTA IZABEL DO PARÁ

A Polícia Civil divulgou, nesta quinta-feira, dia 13, a prisão dos acusados Gleidson Gabriel Costa da Silva e Carlos Eduardo Pinheiro Leite, por tentativa de homicídio, em Santa Izabel do Pará, nordeste paraense. A tentativa de assassinato foi registrada em 12 de abril deste ano, quando a vítima estava em um salão de beleza. Os acusados foram ao local e efetuaram diversos disparos contra a vítima, mas os disparos não atingiram o alvo. 

SECCIONAL DE SANTA IZABEL DO PARÁ
Após o conhecimento do crime, a delegada Rafaella Cabral, da Seccional de Santa Izabel do Pará, deu inicio às investigações para descobrir a autoria e a motivação do crime. "A motivação teria partido de constantes ameaças direcionadas aos suspeitos, vinda de um grupo de pessoas do qual a vítima fazia parte, e de desavenças existentes há mais de 10 anos", explica a policial civil. 

Com a identificação da autoria e comprovada a materialidade da tentativa de homicídio, salienta a delegada, foi requisitada à Justiça a prisão preventiva dos acusados. Eles já estão recolhidos à disposição da Justiça em unidades da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (SUSIPE). As investigações contaram com a atuação do chefe de operações da Seccional, investigador Mateus Almeida, e da equipe plantonista formada pelos policiais civis Emilia Lagoia, Leonice Matos e Ronildo Ferreira.

OPERAÇÃO MARATAUÍRA RESULTA EM 26 PRISÕES EM ABAETETUBA NO PARÁ

Doze presos por homicídio, seis por tráfico de drogas, outros seis presos por roubo e dois por latrocínios (roubos seguidos de morte), totalizando 26 presos. Este foi o saldo final da operação Maratauíra deflagrada pela Polícia Civil, na madrugada desta quinta-feira, 13, no município de Abaetetuba, na região do Baixo-Tocantins, nordeste paraense. Do total de presos, 23 foram presas em cumprimento a mandados de prisão e outras três em flagrante por tráfico de entorpecentes. Dentre os presos, três são mulheres. Diversas porções de drogas foram apreendidas.  

OPERAÇÃO 

POLICIAL CIVIL CUMPRE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO EM RESIDÊNCIA
Os presos foram levados até a sede do Instituto de Ensino de Segurança do Pará (IESP), em Marituba, na região metropolitana de Belém, onde foi realizada, no final da manhã, uma entrevista coletiva, pelo secretário de Segurança Pública, Jeannot Jansen; pelo delegado-geral Rilmar Firmino, e pelo diretor de Polícia Especializada, delegado Silvio Maués, para apresentar os resultados da ação policial. Ao todo, 200 policiais civis de unidades policiais da capital, Divisões Especializadas e Delegacias de vários municípios do Estado, foram acionados para atuar na operação. Eles saíram por volta de 3 horas da manhã, após reunião realizada no auditório do IESP, em deslocamento até Abaetetuba, para cumprir 55 mandados de busca e apreensão em residências da cidade. 

DROGAS APREENDIDAS 
Segundo o delegado-geral, a investigação sobre o latrocínio do feirante Raimundo Lobato Mota, crime ocorrido em janeiro deste ano, às margens do rio Maratauíra (rio que passa em frente à Abaetetuba), foi o ponto de partida para deflagração da operação que é resultado de investigações realizadas pelo Núcleo de Apoio à Investigação de Abaetetuba e da Superintendência da Polícia Civil na Região do Baixo-Tocantins, também sediada em Abaetetuba. 

Em decorrência das investigações do crime, realizada por policiais civis de Abaetetuba, foi identificado o autor do crime. Trata-se de Gleifeson dos Santos Amorim, de apelido Cutraca, um dos presos na operação. No decorrer das investigações, os policiais civis responsáveis pelo inquérito apuraram que o acusado também estava envolvido em outro crime. O latrocínio do professor Andrew Luis Teixeira Monteiro, crime ocorrido no ano passado. Durante as investigações, outro envolvido na morte do professor foi identificado como Judicleison da Costa, de apelido Cocota, que também foi preso na operação Maratauíra. 
PRESOS
A operação em Abaetetuba, detalha o delegado-geral, foi uma continuidade da operação Timbó, que foi deflagrada em 4 de maio deste ano, em Igarapé-Miri, cidade situada na região do Baixo-Tocantins, próxima a Abaetetuba. Na ocasião, foram cumpridos mais de 100 ordens judiciais, entre mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva, contra acusados de envolvimento em crimes, como roubos e homicídios. Ao todo, 34 pessoas – 27 homens, 4 mulheres e três adolescentes - foram conduzidas inicialmente para a Delegacia do município, e depois encaminhadas para a sede do IESP, em Marituba. Nesse local, foi montada uma estrutura em diversas salas do Instituto com computadores instalados e conectados à internet para acessar o sistema usado pela Polícia Civil para registros de procedimentos policiais, como prisões em flagrante. 

RILMAR FIRMINO E JEANNOT JANSEN
O secretário de Segurança Pública, Jeannot Jansen, destacou na coletiva de imprensa, o trabalho de inteligência policial desempenhado pela Polícia Civil e que é fundamental para realização de operações como essa. Ele destacou os investimentos realizados em inteligência policial no Sistema de Segurança Pública do Pará pelo Governo do Estado, como a criação dos Núcleos de Apoio à Investigação nas principais regiões do interior do Pará, como nas regiões de Marabá, Santarém, Redenção, Abaetetuba e Castanhal. Após o final dos procedimentos policiais, como autos de prisão em flagrante e comunicação do cumprimento dos mandados de prisão à Justiça, os presos foram conduzidos para Unidades do Sistema Penitenciário na região metropolitana. 

domingo, 9 de julho de 2017

POLÍCIA CIVIL PROMOVE ENCONTRO COM COMUNIDADE EM PORTEL

A Polícia Civil esteve presente em um debate realizado com a presença de pais, crianças e adolescentes, neste sábado, 8, na sede da Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Portel, no Marajó. O evento como objetivo discutir sobre o papel da Polícia na sociedade, com enfoque nos direitos e nas garantias fundamentais. 


A palestra sobre o tema foi realizada pelo delegado Paulo Junqueira, titular da Delegacia do município. O encontro reuniu moradores de comunidades ribeirinhas e dos bairros da Portelinha e Cidade Nova, em Portel. Foi um momento para integrar a Polícia Civil e a comunidade do município, como forma de trocar conhecimentos, prestar orientações e esclarecimentos sobre as leis e o Estatuto da Criança e do Adolescente. 

Mais do que reprimir os crimes, a atuação da Polícia Civil também está voltada para a prevenção social da violência, por meio da informação da sociedade, o que também contribui em muito para o combate às consequências da violência, como o crime. O encontro foi muito válido para a comunidade que pode conhecer mais o trabalho desempenhado pelas Polícias no município. 

sábado, 8 de julho de 2017

POLÍCIA CIVIL APREENDE 60 QUILOS DE COCAÍNA DURANTE OPERAÇÃO NO MARAJÓ


Uma operação policial coordenada pela Polícia Civil, por meio da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), com apoio do Grupamento Fluvial de Segurança Pública e Comando de Operações Especiais (COE), resultou, ontem de madrugada, dia 7, na apreensão de 60 quilos de cocaína, um fuzil AR 556 com 31 munições e uma lancha em Ponta de Pedras, na ilha do Marajó. Francislei do Santos Leão foi preso em flagrante de posse das drogas. Outros três envolvidos no esquema de tráfico de drogas já haviam sido presos no sábado passado, dia 1º, em Belém. Eduardo da Silva Moura, de apelido Beá; Patrick Menezes Araújo e Anderson do Vale Lima já estão recolhidos no Sistema Penitenciário do Pará. 


As apreensões foram resultados da continuidade das investigações para desarticular o esquema de distribuição de drogas vindas de Tabatinga, no Amazonas, com destino à capital paraense, com passagem pelo Marajó. Segundo o delegado Hennison Jacob, titular da Denarc, a droga foi apreendida na ilha da Olaria, em Ponta de Pedras, na ilha do Marajó. A lancha foi localizada no furo do Rio Panema, também em Ponta de Pedras, às proximidades da ilha onde as drogas foram localizadas juntamente com a arma de fogo.  


Conforme o delegado, a apreensão foi resultado de investigação realizada pela equipe da Denarc. "Ao todo, o grupo de traficantes é formado por 12 pessoas. Existem outras três pessoas escondidas na mata em Ponta de Pedras", detalha o policial civil. Ele salienta que as investigações continuam para apreender o restante da droga e prender as outras três pessoas que atuam como "mulas" no transporte dos entorpecentes. Os presos foram transferidos ao Sistema Penitenciário e as drogas encaminhadas para perícia no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, em Belém.